11 curiosidades sobre Amesterdão que te vão deixar boquiaberto

Porque para além dos Coffee Shops e o famoso Red District, a capital dos Países Baixos tem muitos motivos para ser visitada.

1. O mistério dos três X. Estejas por onde estiveres, o símbolo XXX persegue-te por toda a cidade. E tu perguntas-te: o que é isto? Certo é que nem os próprios holandeses sabem muito bem e existem várias teorias a respeito disto. Uma lenda diz que se deve ao apóstolo Santo André, patrono da cidade, que morreu numa cruz em forma de X. Outra diz que cada X representa o valor, a determinação e a misericórdia, os três adjetivos com que a Rainha Guilhermina dos Países Baixos construiu a cidade. Apenas sabemos que não tem nada que ver com aquele tipo de filmes…

6940727950_58b14b1cea_b

2. Casas muito, muito estreitas. Quando se visita a cidade pela primeira vez, as casas criam bastante impacto. Isto deve-se ao facto de, no século XVIII, os impostos das casas se definirem em função da sua largura. Por este motivo começaram a construí-las assim tão estreitinhas…e hoje em dia, tudo isto se mantém.

3. Casas inclinadas… e com ganchos! As casas constroem-se ligeiramente inclinadas para a frente e com um gancho na parte de cima por uma razão: as casas são tão estreitas (o que já explicámos) e isso faz com que seja impossível levar qualquer tipo de móveis para os andares superiores. A solução? O tal “gancho” que serve para subir os móveis. Mas… e a inclinação? É para evitar que o balanço dos móveis vá de encontro às janelas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

4. Os famosos objetos das esquinas. Vais pela rua e vês uma coisa estranha apoiada na parede? Se fores homem e a tua bexiga pedir uma casa-de-banho, nem penses em usar isto ou vais acabar encharcado. De facto, é uma medida da Câmara da cidade para evitar que os homens urinem nas esquinas… e assim preservar os espaços e as ruas da cidade.

5. Não existe a linha número 8 do tram. Durante a Segunda Guerra Mundial, a linha 8 era usada para deportar os judeus. Depois da guerra, e em memória aos judeus, decidiu não restabelecer-se essa linha para o transporte de passageiros.

6. Casas barco à prova dos melhores arquitectos. Talvez pelo preço elevado das rendas ou devido ao elevado número de habitantes, em Amesterdão existem pessoas que moram dentro de barcos nos canais da cidade. Se alguma vez entrares dentro de um barco-casa, vais ter oportunidade ver sentir o impacto e ver quão bem montados eles estão. São dignos de tirar o chapéu e alguns até nos levam a pensar que são melhores que as nossas casas.

378265-svetik

7. O berço da genebra. Se não fosse Amesterdão, não poderias aproveitar as tuas tardes de quinta-feira num afterwork qualquer à base de gin tónicos. De facto, foi nesta cidade que se descobriu, inventou e tornou famosa a genebra. Vida longa a Amesterdão!

8. Sopa de ervilha: o prato mais tradicional. Não sabemos se os holandeses se sentem ou não muito orgulhosos disto, mas surpreendentemente a sopa de ervilha é um prato delicioso e que te dará ânimo que precisas depois de um dia de chuva intensa enquanto passeavas (de bicicleta) pela cidade.

9. Os objetos mais encontrados no fundo dos canais são… bicicletas! Não são euros, nem carteiras, nem batons, nem chaves. De entre tudo aquilo que se poderia encontrar no fundo dos canais da cidade, aquilo que é encontrado mais frequentemente pelos responsáveis de manutenção, que tratam da limpeza dos canais, são bicicletas. Não deixamos de nos questionar como é que foram lá parar.

70781

10. Sede da primeira portagem do mundo. Odiamos cada vez as portagens porque temos que pagá-las sempre que viajamos por uma qualquer auto-estrada, mas se elas existem: a culpa é de Amesterdão! Nesta cidade criou-se a primeira portagem num prédio conhecido por In de Waag. Diz a História que era por aqui que passavam os barcos que queriam entrar na cidade e lhes era cobrado um imposto consoante o seu peso e o produto que transportavam.

11. Quando Nova Iorque foi Nova Amesterdão. Sabias que a cidade dos arranha-céus originalmente pertenceu aos Países Baixos? Depois de várias guerras com os Ingleses, os Holandeses decidiram finalmente entregar-lhes Nova Iorque em troca do Suriname. Posteriormente, mudou-se o nome da cidade para Nova Iorque em honra ao Duque de York. Para além disso, os ingleses também mudaram “um ovo por uma maçã” e é a partir daqui que se passa a descrever esta cidade como “A Grande Maçã”.

Convencido? Não esperes mais e reserva já a tua viagem!

Cruza os dedos com força e espera ansiosamente pela revelação do teu destino, que vais ficar a conhecer a dois dias da tua viagem… O teu destino pode ser Amesterdão!

Leave a Reply